Fale Conosco: (21) 2580-6489

Próxima palestra da campanha A Vida Não Para aborda os vários tipos de perdas

A dor do luto é difícil de mensurar e as suas reações são singulares, seja para quem perdeu um filho, os pais, um amigo ou um companheiro. As questões que envolvem esse tipo de ruptura serão debatidas na palestra Reações aos lutos: materno, por viuvez e por perda de pai e mãe, que será realizada no dia 5 de dezembro, às 10 horas, no Crematório e Cemitério da Penitência, no bairro do Caju. O encontro que é gratuito e aberto ao público faz parte da programação da campanha A Vida Não Para.

O tema será debatido com os participantes, pela assistente social Marcia Torres e a psicóloga Carolina Bavier de Souza Vallstedet, especialistas que coordenam o programa. Márcia, que coordena o grupo Amigos Solidários na Dor do Luto (ASDL-RJ), esclarece que há peculiaridades nas perdas de entes queridos. No caso da mãe que perde o filho, a assistente social ressalta o impacto para a mulher é muito maior, assim como a elaboração, geralmente, demanda de mais tempo.

“Elas choram mais, acham que não vão conseguir seguir adiante”, conta a especialista. “Pelas experiências que tenho, acredito que a perda de um filho seja uma das maiores dores que um ser humano possa suportar”, acrescenta.

Quando a perda é referente aos progenitores, os conflitos surgem do sentimento de insegurança que toma conta dos filhos, segundo a coordenadora da campanha. “Como eu vou caminhar sem a orientação deles, sem os conselhos tão fundamentais? Estes são os primeiros pensamentos que costumam surgir quando a pessoa perde um pai ou uma mãe”, conta ela.      

 

Serviço:

Campanha A Vida Não Para – com Márcia Torres (assistente social) e Carolina Bavier de Souza Vallstedet (psicóloga)

Tema: Reações aos lutos: materno, por viuvez e por perda de pai e mãe

Data: 05 de dezembro – quarta-feira

Horário: 10 horas

Local: Crematório e Cemitério da Penitência. Rua Monsenhor Manuel Gomes, 307, Caju, Rio de Janeiro.

Informações: (21) 2580-6489 / 2580-4479