Fale Conosco: (21) 2580-6489
Por Márcia Torres, assistente social e coordenadora da campanha A Vida Não Para 

Ao longo dos oito anos de trabalho no Grupo Amigos Solidários na Dor do Luto, tenho notado considerável aumento na procura por apoio, inclusive de pessoas que tiveram perdas por suicídio. Toda semana, tenho recebido ao menos duas ligações pedindo ajuda por esse motivo. Jovens entre 14 e 25 anos têm sido a incidência maior; eles não sabem lidar com suas questões e acabam “fugindo” através da morte.

Neste 10 de setembro, quando acontece o Dia Mundial da Prevenção do Suicídio, escrevo porque vejo a necessidade de apoio aos familiares de quem tirou sua própria vida. No dia a dia, percebo que eles sentem vergonha de falar; a maioria omite o ocorrido, pois pensa que será julgada, estigmatizada etc. E não estão errados! Em geral, realmente há comentários desnecessários e quem perdeu se sente muito mal com isso.

Nos casos de perdas por suicídio, as pessoas próximas ficam num estado tão angustiante: se sentem completamente impotentes frente ao ocorrido; ficam em estado de culpa, levam tempo para elaborar o luto, algumas nem conseguem e se culpam eternamente. 

Como ajudar?

Ouvir, dividir, apoiar é fundamental. Sem julgar, sem tentar “tirar” o sentimento de culpa. Devemos colaborar para que a pessoa que se sente “perdida” em meio a múltiplos sentimentos se sinta acolhida e apoiada.

Uma pessoa que perde por suicídio também precisa e deve passar pelas fases do processo do luto. Para isso, ela necessita de apoio psicológico, de amigos, de grupos de apoio, de amor e de muita compreensão. Apesar da dor ser algo individual, nada é impossível quando se tem ajuda.

Para cada pai, mãe, avó, avô, irmão, irmã e familiares, eu desejo dias cheios de luz.

Nosso grupo está ao inteiro dispor para aqueles que precisarem. Sempre.

🌷

Serviço:

A campanha A Vida Não Para é um grupo de apoio a pessoas enlutadas, criada pelo Crematório e Cemitério da Penitência e coordenado pela assistente social Márcia Torres. As reuniões acontecem quinzenalmente, de 10h às 12h, e a participação é gratuita. Para saber mais ligue (21) 2580.6489